01 julho 2013

O Livro do Cemitério, de Neil Gaiman

Primeiro de tudo Oi, né? Eu sou a Thays e a partir de hoje serei colaboradora aqui no Blog... Pretendo focar meus posts em livros, filmes e séries e deixar a moda dark pra May porque ela vai se sair muito melhor que eu... *risos

E só pra constar um fato sobre mim: Não sei me resumir! E a prova é este post... Então, vão desculpando ae... ):  


Bom, pra começar meus posts vou indicar um livro que eu AMO, O Livro do Cemitério, do Neil Gaiman. Sou suspeita pra falar dos livros do Neil Gaiman em geral, mas esse em especial me cativou de uma forma impressionante, então não espere imparcialidade!

Lembro de quando fui na livraria e trouxe comigo ’O livro do cemitério’, uma das escolhas mais acertadas que tomei até hoje. Acho que me apaixonei por esse livro por gostar muito de histórias infantis, personagens líricos, e com tons soturnos e essa história reúne tudo isso.

O livro conta a história de um garotinho que com apenas 2 anos, teve sua família assassinada pelo misterioso Homem Chamado Jack, e sem ao menos ter consciência da tragédia ocorrida, mas por um golpe de sorte e uma série de coincidências, consegue escapar de seu berço e engatinhando pela rua, curiosamente vai parar no cemitério.



Já no cemitério, ele conhece os ‘habitantes locais’ e o Sr. E a Sra. Owens, um bondoso casal de fantasmas que em vida não teve filhos  e resolve acolhê-lo. Os moradores do cemitério então se reúnem e por fim, dão aos Owens o direito de ficar com a criança, e concedem ao bebê a Liberdade do  Cemitério (que lhe dá algumas vantagens dentro dos limites do cemitério). O bebê foi então foi batizado de Ninguém Owens, ou Nin, para os íntimos e passa então, a ser o único vivo habitando o Cemitério da Colina.

Silas, um ser misterioso que protege o cemitério, concorda em ser o guardião do garoto, sendo o responsável por trazer-lhe o que fosse necessário pra sobrevivência de Nin, bem como educá-lo quando chegasse o tempo.

E assim, nessa atmosfera mítica, passamos a acompanhar as aventuras de Nin, seus passeios entre as lápides, seu relacionamento com seus ‘pais’ e os outros fantasmas do cemitério, pessoas de outras épocas cada qual com uma história de suas vidas e de suas mortes, é claro.  O encontro com bruxas, o tenebroso mundo dos Ghouls e outros lugares, mas tudo isso de um ponto de vista bem humano.

Nin cresce longe dos perigos que espreitam além dos muros do cemitério e a salvo do terrível Homem chamado Jack, que mesmo depois de anos, não se conformou de ter deixado uma de suas vítimas escapar e ainda está a sua procura.

Vemos momentos interessantes como algumas amizades e aventuras além dos portões do cemitério e quando Nin começa a ir a escola, descobrindo ai um mundo totalmente novo para ele, o mundo dos vivos.

A medida que o tempo passa e vemos o crescimento de Nin, que começa a achar o cemitério pequeno, e medida que ele vai tendo mais contato com o mundo dos vivos, questões como o mistério que envolve o Homem Chamado Jack e o assassinato de sua família saltam-lhe a mente, e apesar de sua vontade de conviver mais com os vivos, isso só será possível depois que essas questões forem respondidas e solucionadas.


A leitura é envolvente e rica, os personagens são muito bem colocados e Nin é um protagonista muito cativante e carismático. A mistura de elementos e mitologias só engrandece ainda mais a obra. Mistério, drama e aventura, é isso que você vai encontrar nesse livro, mas tudo isso com um tom bem sombrio, que, mesmo sendo uma obra dedicada ao público infanto-juvenil, mostra que a maestria com que Gaiman conta a história, faz dela um petardo para leitores de todas as idades.

E é claro, que as maravilhosas e sombrias ilustrações (todas em preto e branco) de Dave McKean, seu sublime colaborador, que tanto engrandecem a obra e a tornam ainda mais especial, não podem deixar de ser mencionadas, bem como seu primor!

É um livro maravilhoso, que eu mais que indico! Corre para ler logo, porque a ‘Dança Macabra’ já vai começar!

“...Pisar e virar, depois andar e parar,

Agora vamos a Macabra dançar.

[...]
Lá-lá-lá ump! Lá-lá-lá ump!”  







8 comentários :

  1. Esse sem duvida é um ótimo livro! E o tipo de livro que quando você termina de ler deixa um saudade...
    Tomara que que o projeto de fazer um filme com esse livro realmente aconteça. Seria um filme no nível do Coraline, A Noiva Cadáver e o Estranho Mundo de Jack.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Melhor ainda se ele for feito nos mesmos moldes dos que você citou: em stop motion.

      Excluir
  2. Que massa ! Vou comprar esse livro :)

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Garanto que será uma compra da qual não irá se arrepender! :D

      Excluir
  3. Simplesmente me apaixonando <3 logo logo vou adquirir o meu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora que já leu, pode concordar comigo, May! *risos

      Excluir
  4. Esse dele eu ainda não li, mas vou sublinhar bem o não li porque logo logo vou sair desse status ^^
    E Thays que resenha mais linda ♥ Você disse que não sabe se resumir, mas nem precisou, contou tudo o que interessava sem um spoiler sequer, adorei.
    Logo que puder lerei sem falta! Vou ficar acompanhando aqui, gostei muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois lê mesmo, Tamara! É o meu preferido do Neil Gaiman... <3
      Own, obrigada! Eu realmente acho que falei demais, mas fico muito feliz que você tenha gostado. Acho mesmo que você também vai adorar e digo isso baseada nos nossos bons índices de compatibilidade na leitura! Beijão pra ti!

      Excluir

Olá, deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante para o blog! :*

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Oh May Goth © 2015 Todos os direitos reservados. imagem-logo